fbpx

10 dicas para escolher o crédito pessoal mais barato

Quer encontrar o crédito pessoal mais económico do mercado? Neste artigo, apresentamos 10 dicas preciosas para que consiga encontrar o crédito pessoal mais barato e com as condições ideais para si.

Independentemente do montante e da finalidade do crédito pessoal, em qualquer situação, irá querer encontrar a opção de financiamento mais barata. Para isso, tem de estar consciente da necessidade de ter de dar garantias ao banco para que este se disponibilize a baixar as taxas de juro do crédito.

Com isto em mente, percorra a nossa lista e veja quais os vários passos que deve dar para escolher o melhor crédito para si.

1. Compare vários créditos pessoais

Comece a sua procura por fazer várias simulações em diferentes instituições bancárias para poder comparar. Neste processo procure sempre evitar pagar comissões de análise ou de aprovação que algumas instituições cobram. De modo a conseguir escolher o crédito mais barato, é fundamental que analise todas as características do produto e das taxas de juro.

2. Defina um prazo de pagamento curto

Se possível, tente escolher um prazo de pagamento curto. Este prazo tem de ser exequível e adequado à sua situação, claro, mas, quanto mais conseguir encurtar o mesmo, mais barato ficará o crédito. Além disto, se conseguir pagar o seu crédito rapidamente, logo vai conseguir ver-se livre desse encargo e com uma folga mensal maior.

3. Escolha a taxa de juro mais baixa

A taxa de juro é um fator crucial na procura pelo crédito pessoal mais barato. Quanto mais baixa for a taxa de juro de um crédito, mais barato é, por norma, o mesmo. Para fazer esta análise, deve ver com atenção a FINE (Ficha de Informação Normalizada Europeia), na qual está especificada a taxa de juro anual nominal, que representa o custo associado aos juros do empréstimo, e a taxa anual de encargos efetiva (TAEG), que é o somatório da TAN com outros encargos, como seguros ou comissões associadas. Assim, a TAEG será o melhor indicador para perceber qual o crédito pessoal mais barato.

4. Esteja atento às comissões

É usual em qualquer contrato de crédito ter de pagar comissões. Estas comissões devem ser consideradas no cálculo do valor final de cada crédito, sob pena de entender se está a escolher o crédito pessoal mais barato ou não. As comissões podem ser designadas de diferentes formas, como “abertura de processo” ou “estudo ou formalização”, por exemplo.

5. Considere o Montante Total Imputado ao Consumidor (MTIC)

O Montante Total Imputado ao Consumidor (MTIC) é um indicador muito importante que deve analisar ao longo da sua comparação. Este indicador inclui o montante de financiamento, a taxa de juro, os seguros que foram subscritos para o efeito, os impostos a pagar, as comissões bancárias e todos os outros encargos relacionados com a subscrição do crédito. Assim, este é um dos indicadores mais completos, a partir do qual facilmente entende se está, de facto, a escolher o crédito pessoal mais barato. Isto porque o MTIC lhe diz quanto vai pagar realmente no final do contrato. Muitas vezes, as pessoas apenas consideram o valor da prestação mensal para decidirem qual a melhor opção, o que não é a melhor prática, já que não estão a considerar tudo o resto que podem ter de pagar para obter esse contrato. Por exemplo, se tiver pedido um valor de financiamento baixo e um prazo de pagamento curto, o seu MTIC tenderá a ser mais baixo quando comparado com um prazo longo e com um montante muito elevado.

6. Tenha em atenção os seguros associados

Na concessão de crédito pessoal é muito comum haver um incentivo à subscrição de seguros como o seguro de vida, de desemprego e de doença. Com a subscrição destes seguros, você está a dar uma garantia à instituição financeira de que irá conseguir pagar o valor em dívida relativo ao crédito mesmo em caso de invalidez ou morte. Deve tentar entender se a subscrição destes seguros não fazem o preço do seu crédito pessoal aumentar demais. Pode considerar, ainda, que não é obrigado a fazer o seguro que o banco lhe está a propor para aceitar conceder-lhe crédito. Assim, pode procurar outros seguros que sejam mais económicos que cubram os requisitos que o banco lhe pede.

7.  Mantenha uma boa relação com o seu banco

Se o seu objetivo é alcançar o acesso a um crédito económico, deve pensar em construir uma boa relação com a sua instituição financeira. Ser um bom pagador e ter um histórico limpo de incumprimentos são aspetos essenciais para conseguir as melhores condições. Assim, se oferecer todas as garantias ao banco de que é um pagador confiável, não irão haver razões para que não consiga as melhores condições de crédito.

8. Apresente uma taxa de esforço baixa

Se tiver uma taxa de esforço demasiado elevada é difícil conseguir obter um crédito pessoal, mais difícil ainda é obter um crédito pessoal barato. Tente reduzir as suas despesas fixas de modo a reduzir a taxa de esforço. Caso não consiga reduzir a sua taxa de esforço e esta se encontrar demasiado alta (acima dos 40%), deve considerar fazer uma consolidação dos créditos antes de pedir um novo financiamento.

9. Dê todas as garantias

No fundo, tudo se resume a este ponto – você deve mostrar ao banco que é de confiança e que pode suportar o valor do crédito pessoal que está a solicitar. Para oferecer garantias extra à instituição bancária, pode propor um fiador para a operação do crédito ou acrescentar uma hipoteca de um imóvel, por exemplo. Estas ações irão fazer com que o banco se sinta confortável em conceder-lhe o crédito e também em baixar o seu preço (uma vez que considera que o risco que corre ao fazer-lhe o empréstimo é muito menor).

10. Negoceie

Existe a tendência para as pessoas pensarem que não têm grande poder de negociação no que diz respeito a questões bancárias. A verdade é que, na maior parte das vezes, há uma margem de negociação interessante para a concessão de créditos. Não desperdice ta oportunidade de conseguir uma redução no valor do seu crédito pessoal. Pense que o não está sempre garantido, por isso se não conseguir uma redução do seu crédito ao longo das negociações também não é caso para desanimar, fica sempre com a consciência tranquila por ter tentado.

Como já deve ter percebido, encontrar o crédito pessoal mais barato do mercado não é tarefa fácil – implica algum engenho e a perda de bastante tempo a pesquisar e a negociar todos os aspetos e alternativas. Por isso é que com um intermediário ao seu lado, tudo se torna mais fácil. A AMCO Crédito ajuda-o a encontrar o crédito mais ajustado à sua situação financeira. Fale connosco e encontre as melhores soluções.

Artigos Relacionados

Sobre
Prémios & Distinções

Vencedores Prémio Cinco Estrelas, pelo 2º ano consecutivo

As suas férias de sonho estão a uma chamada de distância!
Sobre
Crédito Pessoal

As suas férias de sonho estão a uma chamada de distância!

Transferência de Crédito Habitação
Sobre
Crédito Habitação, Dicas financeiras

Transferência de Crédito Habitação: Poupe todos os meses!

Novas medidas habitação Jovens
Sobre
Crédito Habitação, Dicas financeiras

Novas Medidas de Habitação para Jovens

Fale com a Especialista

Crédito
De quanto preciso?
Prazo?
meses